O cinema em cada um de nós (Cada Um Com Seu Cinema)

cada_um_com_seu_cinema-imagem.jpg

 CADA UM COM SEU CINEMA    { 3estrelas.jpg }

 Como você se sente indo ao cinema? Que emoções ele desperta em você? Mas não o filme em si, mas o fato de você entrar numa sala, se envolver com os outros espectadores, como você se sente antes de entrar na sessão, o que faz antes ou depois dela, quem te acompanha para assistir as produções… Esse é o intuito de Cada Um Com Seu Cinema, uma coletânea de 33 curtas em que cada diretor conta como se sente no cinema.

O perigo nesses tipos de produções em que cada diretor produz o seu próprio material é a instabilidade da qualidade do filme como um todo. E esse é exatamente o que ocorre aqui. Como há 33 curtas, a duração de cada um teve que ser absurdamente curta (eles não passam de simples três minutos de duração). Isso faz com que as histórias planejadas pelos cineastas acabem ficando pouco desenvolvidas (algumas, por exemplo, começam a empolgar o espectador segundos antes de terminar).

O ponto interessante daqui, entretanto, fica na forma com que os curtas são apresentados. Diferentemente de outras produções do gênero (como Paris, Te Amo), os créditos dos filmes são apresentados após a sua exibição. Ou seja, o espectador acaba tentando adivinhar quem é o realizador de cada trabalho. Fica difícil de não perceber as assinaturas de Wong Kar Wai e suas cores vibrantes, David Lynch e sua excentricidade nonsense, Joel e Ethan Coen e seu humor corrosivo, Gus Van Sant e seu amor juvenil, Amos Gitai e seu cinema engajado, Manoel de Oliveira e sua estética histórica, entre muitos outros.

Por fim, Cada Um Com Seu Cinema pode não ser o maior exemplo de amor ao cinema, como o próprio longa diz ser, mas é certamente um interessante relato de comos diferentes pessoas, até mesmo aqueles intimamente ligados à área, vêm essa arte sob diferentes formas.

cada_um_com_seu_cinema-ficha.jpg

Anúncios

3 comentários

  1. Tenho muita curiosidade em relação a esse filme devido a enorme quantidade de diretores renomados no projeto – sendo os segmentos do Gus Van Sant, Lars Von Trier e Wong Kar Wai os mais aguardados por mim.

  2. // Os diretores realmente são ótimos, mas é uma pena que os curtas tenham poucos três minutos… Teria sido melhor ver mais de cada um.

    // Os três estão com bons curtas, mas quem mais me surpreendeu foi Iñárritu que após algumas deslizadas, conseguiu apresentar um ótimo trabalho. O curta dele, “Anna”, é um dos melhores da seleção. Empata com o do Zhang Yimou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s