Cafonas, mas felizes (Mamma Mia!)

MAMMA MIA    { 2estrelas.jpg }

Logo que foi divulgado uma versão cinematográfica para o sucesso da Broadway, não tinha como Mamma Mia dar errado, certo? Afinal de contas, o pior que pode acontecer a um musical é quando as músicas não são boas o bastante, não condizem com o clima do filme, não agradam o público, ou seja, quando a trilha sonora não dá certo. E tendo em vista que as músicas do filme seriam adaptadas do ABBA, uma das bandas de maior sucesso, de fato parecia que Mamma Mia ia seguir facilmente o caminho para o sucesso. Conclusão: sucesso até pode ter chegado, mas é bom? Não mesmo.

Mamma Mia tem muitos problemas com o decorrer do longa. O maior e principal deles é o fato de que ele foi feito para um público em específico: o público que é fã da banda ou é da montagem teatral. Quanto aqueles que ficam fora dos dois grupos só resta passar as próximas quase duas horas vendo um filme que mal parece um filme, e sim uma montagem de diversos videoclipes reminescentes dos anos 80 com algumas conexões entre uma música e outra. Se o espectador não se emocionar com momentos em que Meryl Streep encarna uma Celine Dion (como no cansativo “The Winner Takes It All”), o longa irá parecer uma versão mais famosa e adulta de High School Musical.

Aqui o que menos importa é a história. Além do mote do filme ocupar menos de 10% de toda a duração do longa, quase se pode perceber uma preocupação dos realizadores do filme em apressar a parte em que os atores dialogam e estender as cenas musicas em que surgem coreografias vindas diretamente de uma noite de karaokê. Há espaço até mesmo para uma inexplicável dança entre jovens com pés de pato num píer.

Felizmente, o elenco faz muito para tentar salvar o que resta do filme. Streep e Amanda Seyfried, mãe e filha do longa, estão em boas atuações e possuem vozes ótimas. Christine Baranski, uma de minhas atrizes favoritas, faz bem com o pouco que teve. Pierce Brosnan pode até arranhar um pouco, mas não tem muito tempo de cantoria para que possa justificar críticas mais pesadas.

No fim, fica essa difícil sensação de avaliar Mamma Mia. O filme não parece decidir se quer ser um exemplar kitsch de uma história vibrante e romântica, ou uma fita assumidamente trash de uma sinopse vazia o suficiente para que possa ser preenchida por outras subtramas. Talvez um pouco dos dois. No entanto, há algo que é certo: se a dúvida persistir na hora de assistir o filme, pegue o CD da trilha sonora. Será bem mais proveitoso.

Anúncios

4 comentários

  1. Acho que o filme cumpre muito bem sua função de divertir, o que de certa forma já é muito bom em termos de musicais. Peca um pouco pela história, mas tem alguns ótimos momentos.

  2. “uma fita assumidamente trash de uma sinopse vazia o suficiente para que possa ser preenchida por outras subtramas”. Eu não imaginaria que “Mamma Mia!” fosse tão regular para chegar a este extremo. Uma pena que perdi o filme nos cinemas, fica pára o DVD.

  3. Esse filme não é pa eu não …
    Só se alguem me chamar para assistir, de graça e ainda com uma bela companhia ao lado quando o filme ficar um porre … dá beijinho …
    eheheh

    abraços e até que fim
    bom retorno …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s