Top 10 insuportáveis filmes de Oscar

Se você é do tipo que adora acompanhar a corrida do Oscar, prever os vencedores e chorar pelas inevitáveis injustiças cometidas, existe uma certa necessidade de tentar ver todos os indicados a Melhor Filme para que a sua opinião em uma mesa de bar seja levada em conta (não que isso tenha te impedido de reclamar da vitória de Onde os Fracos Não Têm Vez, sendo que você só assistiu Desejo e Reparação e Juno). Contudo, ano após ano, sempre tem aquele filme que ferra com esse nosso plano por ser tão insuportável que te lembra que você não tá ganhando que nem o Rubens Edwald Filho pra falar merda em rede nacional, consequentemente não valendo o seu esforço. Quer ver quais foram as nossas escolhas dos últimos dez anos?

Só pra esclarecer melhor as regras:

  1. O filme em questão não é, de jeito nenhum, o pior indicado ao prêmio, ou um filme ruim por si próprio. O fator decisivo aqui é se você, por conta própria, pagaria pra ver esse filme no cinema ou se ele é só mais um Oscar bait superestimado.
  2. Só levamos em conta indicados ao prêmio de Melhor Filme.
  3. Só um filme por ano.

2005 – O Aviador

Ah, uma época mais fácil onde só tínhamos cinco indicados a melhor filme (e que mesmo assim tinha um nível bem baixo, visto que Em busca da terra do nunca e Ray estavam na competição). O engraçado é o quanto filmes como O Aviador são hypados na época do lançamento, mas caem num esquecimento merecido poucos anos depois. Longo, vazio e um grito desesperado do Scorsese de ganhar um Oscar (que ele não possuía até então), O Aviador só é lembrado por ser o filme que deu o único Oscar de atuação pra Cate Blanchett. Isso até a cerimônia do mês que vem, claro.

2006 – Boa Noite e Boa Sorte

Deus do céu, que ano com indicados chatos. Tirando o fato de que todos os cinco são filmes estrelados por homens brancos (apesar de o que ganhou, Crash, conseguir ser mais racista do que os outros juntos), o que tivemos foi uma enxurrada de filmes de época com Munique e Capote, além do já citado vencedor do ano. No fim, Boa Noite e Boa Sorte ganha pelo simples fato de: você conhece alguém que já tenha visto esse filme?

2007 –Cartas para Iwo Jima

Esse daqui entra com mérito não só por ser um filme de guerra, o que é comumente tido como um dos gêneros mais chatos que existe, como faz parte de um experimento do Clint Eastwood de mostrar os dois lados da batalha com dois filmes diferentes. Ou seja, não só você tem que encarar duas horas e vinte desse, como ainda vai rodar na discussão com o seu amigo pedante que vai querer jogar A Conquista da Honra na conversa. E sim, Babel foi desse ano e continua horrível, mas prefiro mil vezes acompanhar a tcheca da Rinko Kikuchi nas baladas de Tóquio do que uma linda homenagem aos soldados na guerra.

2008 –Michael Clayton

Vamos deixar de lado o fato de eu nem saber muito bem sobre o que é esse filme pra afirmar que se tem George Clooney em filme sério de Oscar, provavelmente é algo que dificilmente vai despertar o meu interesse.

2009 –Frost/Nixon

Se a ideia de um filme que se passa durante uma entrevista chave de um período político sobre o qual eu não sei basicamente nada já não fosse o bastante pra me desempolgar, certamente ver que o nome do Ron Howard (cuja melhor contribuição para o cinema foi a filha) está bem grande como diretor já mata o meu interesse.

2010 –Um Sonho Possível

E é aqui que a bagunça de dez possíveis indicados começa. Por alguns instantes pensei em dar a vitória para Um Homem Sério, filme dos irmãos Coen que passou tão batido que a única lembrança que eu tenho era aquele cartaz com alguém num telhado, numa vibe meio O menino que sabia voar, mas aí lembrei de Um Sonho Possível. Com potencial pra ser tão-ruim-que-é-bom como Preciosa, mas parecendo um pouco mais pretensioso, o veículo para dar um Oscar pra Sandra Bullock é a receita batida de filme de branco ajudando negro e descobrindo no meio do caminho que também está sendo ajudado no processo, coisa que a gente já pode entender no primeiro trailer lançado dessa bomba. Pra quê ver mais duas horas disso, não é mesmo?

2011 – O Discurso do Rei

Pela primeira vez na lista um longa que acabou ganhando o prêmio de melhor filme no Oscar, O Discurso do Rei representa ao máximo o estilo Weinstein de se ganhar o prêmio, o que envolve uma história baseada em alguma outra propriedade (aqui aparentemente My Fair Lady), uma trama de um azarão superando expectativas e, segundo boatos, muito suborno. Bom trabalho.

2012 – Cavalo de Guerra

Era de se esperar que lá em 1994, quando ganhou todos os prêmios possíveis por A Lista de Schindler, Steven Spielberg tivesse conseguido a validação necessária como gênio do blockbuster que também consegue ser artista sério. Por isso mesmo fica tão difícil entender a necessidade do Spielberg de soltar um produto desenhado pra Oscar sem nenhuma personalidade ou senso de diversão. Eu prefiro um Guerra dos Mundos novo todo verão do que encarar esses filmes sérios dele.

2013 –Lincoln

Se o Spielberg pode repetir o truque, eu posso repetir o texto: Era de se esperar que lá em 1994, quando ganhou todos os prêmios possíveis por A Lista de Schindler, Steven Spielberg tivesse conseguido a validação necessária como gênio do blockbuster que também consegue ser artista sério. Por isso mesmo fica tão difícil entender a necessidade do Spielberg de soltar um produto desenhado pra Oscar sem nenhuma personalidade ou senso de diversão. Eu prefiro um Guerra dos Mundos novo todo verão do que encarar esses filmes sérios dele.

2014 – O Lobo de Wall Street

Pode me chamar de herege, mas uma das carreiras que menos tem apelo para mim como um todo é a do Scorsese recente. Os Infiltrados é uma festa da linguiça tediosa, Hugo não sabia se era um filme infantil ou adulto (e falhava em ambos, sendo que a segunda parte com a homenagem ao cinema é uma das transições de tema menos cabíveis que já vi em filme) e agora esse Os Lobos de Wall Street, apesar de mais escrachado, é um filme de três horas com um consenso de crítica mediano e que fez com que vivêssemos em um mundo onde Jonah Hill é indicado ao Oscar pela segunda vez. Se isso pra você não é motivo o bastante de boicote, temos gostos bem diferentes então.

E você? Que filme você com certeza não verá esse ano?

Anúncios

4 comentários

  1. Discordo sobre o Jonah Hill,acho ele muito engraçado.E acredito que o filme de 2014 devia ser o Gravidade,assisti esse filme no cinema e dormir com menos de meia hora de filme.E também gosto dos irmãos Coen,embora ¨Bravura Indômita¨ não seja meu preferido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s