Analisando a Bilheteria: Top 10 Mundial, Americano e Brasileiro em 2014

Já estamos no meio do ano, e pra muita gente isso significa duas coisas: uma delas é que daqui a pouco é natal, o seu próximo aniversário já está chegando e você está um ano mais próximo de continuar não encontrando amor e se preparando para uma morte solitária em seu apartamento. A segunda é que tal aproveitarmos esta pausa para vermos o tanto de dinheiro que os filmes tem feito em 2014?

Eu sei que ainda tem muita água para rolar este ano, com as futuras estreias de A Esperança – Parte 1Guardiões da Galáxia e o capítulo final da trilogia O Hobbit, mas se veículos respeitados como a Vanity Fair já estão com a safadeza de tentar prever os vencedores do Oscar 2015 (!), vamos aproveitar a oportunidade e pegar nossas calculadoras e planilhas de dados e ver quais filmes até agora romperam barreiras, quais foram sucessos inesperados e quais caíram de cara na bilheteria e colocaram seus idealizadores na lista negra de Hollywood. Desta vez com os números de bilheteria americana, mundial e brasileira, o resultado final vai te surpreender (#título daquelas notícias horríveis que os seus amigos compartilham no facebook).

banner bilheteria

Alguns sempre oportunos lembretes antes de começarmos:

  1. Esta lista se baseia em arrecadação, e não em lucro. Do mesmo jeito que você ter dado 300 reais numa camisa linda da Osklen e ter pegado uma pessoa um pouco mais gata no fim da festa do que o seu amigo que foi vestindo Riachuelo, o resultado final não quer dizer que foi o mais lucrativo.
  2. Os ingressos de filmes no cinema estão cada vez mais caros. Uma entrada num sábado à noite no Cinemark pode chegar a 30 reais, e isso com eles te obrigando a ver os cinco primeiros minutos de Como Treinar o seu Dragão 2, então não confundam uma grande arrecadação com um número maior de ingressos sendo vendidos. Um bom exemplo disso é o ano passado, que apesar de ter tido a maior bilheteria conjunta da história, não teve mais ingressos vendidos do que 2012.
  3. Todos os dados foram coletados no excelente site Box Office Mojo, então se você tiver alguma dúvida ou quiser passar tardes pesquisando o quanto aquele filme horrível que você adora deu de bilheteria, acessa lá.

Top 10 de arrecadação em solo americano

Hoje em dia é cada vez mais comum se deparar com o pensamento de que, com a bilheteria internacional cada vez mais desenvolvida, o dinheiro arrecadado pelo filme em solo americano deixa de importar. Há um pouco de verdade nisso, como podemos verificar nos exemplos de Depois da Terra (75% de sua bilheteria vinda de mercados internacionais) e Wolverine – Imortal (até a época de sua estreia o filme da franquia X-Men de maior arrecadação estrangeira, mas menor doméstica).

Contudo, precisamos lembrar que mercados estrangeiros tem uma divisão diferente do lucro coletado pelo cinema, e consequentemente resultam em menos dinheiro arrecadado para o estúdio do que um filme que foi um sucesso estrondoso em solo nativo. E mesmo aqueles que conseguem se salvar um pouco internacionalmente em alguns casos só conseguiram fugir do rótulo de fracasso, visto que para um filme ser considerado um sucesso a ponto de dar lucro ele precisa obter no mínimo o dobro de seu orçamento na bilheteria. Abaixo, temos o top 10 de bilheteria americana até agora em 2014.

arrecadaçao domestica

No geral o top 10 se mantém similar ao do ano passado. Apenas dois filmes são baseados em roteiros originais, Ride Along e Vizinhos (as duas únicas comédias presentes, diga-se de passagem), apenas dois filmes são estrelados por mulheres (Malévola e Divergente) e três dos cinco primeiros fazem parte de franquias de super-heróis (Capitão América: O Soldado Invernal, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido e Homem-Aranha 2: A Vingança de Electro).

Apesar de o ano passado ter estabelecido o recorde doméstico de maior bilheteria da história, a sensação é de que falta algum grande blockbuster para deslanchar 2014 de vez. Apesar da excelente performance do segundo Capitão América, que conseguiu aumentar em 80 milhões a sua bilheteria doméstica em relação ao primeiro filme, falta a 2014 algum filme como Homem de Ferro 3 (isso só em questão de bilheteria, que fique bem claro), que em junho do ano passado já tinha sozinho arrecadado 400 milhões de dólares.

A maior surpresa do ano até agora foi sem dúvida o enorme sucesso de Uma Aventura Lego. Lançado em um mês sem muita competição e baseado em uma propriedade extremamente famosa (todo mundo já brincou de Lego algum dia), o filme ganhou a crítica (96% no Rotten Tomatoes) e público, e já teve uma continuação anunciada logo na segunda semana em cartaz.

debatemos aqui no Anfitrião sobre a necessidade no mercado atual de grandes astros de cinema em projetos milionários, e nunca o debate se mostrou mais presente (e complexo) do que neste ano. Por um lado temos Malévola se tornando a maior bilheteria da carreira de Angelina Jolie, e mesmo sendo um filme Disney baseado em uma das vilãs mais icônicas dos desenhos, esse número estrondoso (191 milhões só nos EUA) tem muito mais a ver com a presença da atriz em tela do que outros fatores.

Em contrapartida, Godzilla, um filme sem grandes nomes no elenco, arrematou o segundo maior fim de semana de abertura do ano (93 milhões, atrás dos 95 de Capitão América 2), e mesmo perdendo ritmo depois de uma recepção insatisfatória o público, ainda chegou bem perto dos 200 milhões domésticos, classificando o filme como um sucesso e mantendo o debate sobre astros aceso.

Como nem todo mundo pode ser Angelina na noite, alguns astros aprenderam que nem só as suas ilustres presenças podem carregar um filme diretamente ao sucesso:

Tom Cruise: Pelo segundo ano consecutivo lançando um filme espacial que o público não se importa (ano passado foi Oblivion), Tom Cruise viu o seu No Limite do Amanhã sair de um orçamento de 178 milhões de dólares e perder o fim de semana de estreia para A Culpa é das Estrelas, que custou DOZE (e até agora já arrecadou 103) .

Adam Sandler/ Drew Barrymore: Quando a própria estrela do filme assume que só realizou o projeto porque viu uma oportunidade de tirar férias na África enquanto filmava, é mais do que justo que ele seja recompensado com uma das piores bilheterias de sua carreira (40 milhões). Nem adiantou que Juntos e Misturados tentou bater na tecla de que esse era o terceiro reencontro de Sandler e Barrymore nas telas (que a essa altura do campeonato tão com menos prestígio se reencontrando do que as Spice Girls sem Victoria Beckham).

Johnny Depp: Em uma série de fracassos em sua carreira, Johnny Depp vai ter que se conformar vendo Transcendence (23 milhões de bilheteria) terminar atrás de bombas notórias como Pompéia e o já citado filme horrível do Adam Sandler (e que não custou 100 milhões pra ser feito).

Top 10 de arrecadação mundial

arrecadaçao mundial

A situação piora quando analisamos o quadro mundial. Sem as comédias (gênero que dificilmente consegue repetir o sucesso americano em um nível global), apenas No Limite do Amanhã é baseado em uma história original (isso porque eu estou sendo bonzinho e desconsiderando o filme como um remake espacial de Feitiço do Tempo), e apenas Malévola é o exemplo de filme estrelado por uma mulher. E isso sem contar que com Ride Along no top 10 americano tínhamos a presença de um filme estrelado por atores negros na lista pela primeira vez nesta década (e é curioso pensar como um filme que fez sucesso nos Estados Unidos não tem nem um nome traduzido para um lançamento brasileiro. E “curioso” aqui = racista mesmo).

Neste top 10, apenas as três últimas posições são trocadas em relação ao doméstico (além da alteração de posições de outros), ganhando a presença de Noé, 300: A Ascensão de um Império e No Limite do Amanhã, todos exemplos de como um desempenho mediano em seu país de origem pode ser salvo pelos números internacionais, como você pode ver no quadro pela diferença de porcentagem entre a arrecadação doméstica e a internacional (e como o Tom Cruise tem um histórico de sucesso em mercados asiáticos).

Top 10 de arrecadação brasileira

arrecadaçao brasileira

 A lista brasileira é sem dúvida a mais diferente das três, e eu não consigo afirmar exatamente qual o motivo de um filme como Noé conseguir bater blockbusters como Capitão América 2 Rio 2. É porque realmente vivemos em um país católico e aproveitamos a chance pra ver todo o esplendor da história bíblica nas telas? Será que gostamos tanto assim de Russel Crowe e estávamos com saudade desde que ele apareceu brevemente em Homem de Aço? Se você tem uma teoria sobre esse aqui, por favor divida com a gente nos comentários aí embaixo.

A Culpa é das Estrelas encontrou no Brasil um dos seus maiores mercados (já faz um mês que estreou e ainda podemos ver constantemente anúncios do filme na TV), o que pode ser explicado tanto pela popularidade do livro por aqui como esse tipo de filme tendo um público devoto que o assiste diversas vezes enquanto o mesmo ainda está em cartaz. Ainda nos filmes estrelados por personagens femininas, o único motivo de Frozen estar nesta lista mesmo sendo um filme de 2013 é por ele ter estreado por aqui apenas dia 10 de janeiro (com toda a ironia de assistir um filme chamado Uma Aventura Congelante em um dos verões mais brabos que eu tenho lembrança).

Nenhum filme nacional conseguiu entrar no top 10, o que mostra que a fanbase que ainda paga pra ver Paulo Gustavo fazendo graça usando o mesmo tom de voz para todos os seus personagens devia ter se esforçado mais (Os Homens são de Marte fez 6 milhões e ficou na posição número 13). Rio 2 conseguiu repetir o sucesso do primeiro e mais uma vez foi dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha, mas ainda é um filme americano que se passa aqui. Junto da animação, Robocop é o mais próximo que temos de uma presença brasileira na lista, e isso pelo nome de José Padilha na direção, que fez do Brasil um dos mercados mais bem sucedidos deste remake que ninguém pediu (só a cargo de comparação, Tropa de Elite 2 conseguiu fazer 62 milhões de dólares durante sua exibição, classificando-o como o maior blockbuster nacional da nossa história).

E essa é a análise da billheteria de 2014 até agora. Ainda teremos muitas mudanças na lista (o quarto Transformers estreia hoje nos Estados Unidos, por exemplo), e muitas apostas arriscadas até o fim do ano, como Megan Fox estrelando um live action de Tartarugas Ninja e o The Rock com aquela peruca maravilhosa numa nova encarnação do Hércules, então nos veremos de novo no fim do ano checando como eles se saíram. 

E você, ficou triste que algum dos seus preferidos deu prejuízo? Acha que o eloquente Getúlio pode levar Tony Ramos ao Oscar e merecia ter dado mais dinheiro? Não deixe de dar o seu comentário embaixo =D

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s