Prêmio Anfitrião

Prêmio Anfitrião 2016

Iniciando a segunda década de existência do prêmio Anfitrião, o site elegeu Poesia sem fim de Jodorowsky como o melhor do ano. O longa, segundo da franquia autobiográfica do diretor chileno, saiu vencedor das categorias Melhor Filme, Direção, Roteiro Original e Maquiagem.

Outros destaques do ano são A chegada, ficção científica de Denis Villeneuve, e A criada, suspense erótico de Chan-Wook Park. Ambos os filmes saíram com 4 vitórias cada, o mesmo tanto que Poesia sem fim.

Aqui a lista de todos os filmes (longas e curtas) que conferi em 2016 e portanto elegíveis para o Anfitrião. Lembrando que a lista é composta de produções que 1) estrearam em circuito comercial, 2) foram exibidas em mostras e festivais, ou 3) foram lançadas diretamente em DVD. Abaixo segue a relação completa

2016-filme.png

1º Poesia sem fim, de Alejandro Jodorowsky
2º A criada, de Chan-Wook Park
3º A chegada, de Denis Villeneuve
4º A paixão de J.L., de Carlos Nader
5º A bruxa, de Robert Eggers

Continuar lendo

Anúncios

Prêmio Anfitrião 2015

O Anfitrião 2015 não é só mais uma edição qualquer: esse ano completa 10 anos da minha lista pessoal. A décima edição do prêmio reconheceu Divertida mente como o melhor filme do ano. A animação agora acompanha os 9 vencedores do passado: Filhos da esperança (2006), Zodíaco (2007), Persépolis (2008), Milk (2009), Soul Kitchen (2010), A pele que habito (2011), A caça (2012), Gravidade (2013) e Boyhood (2014).

A comédia da Pixar ganhou em 5 categorias: Filme, Roteiro original, Atriz coadjuvante, Filme de animação e Trilha musical. Quem chegou perto foi o drama brasileiro Que horas ela volta? que ganhou em Direção, Atriz e Cena. O filme de Anna Muylaert foi o segundo mais lembrado do ano, empatado em número de prêmios com Mad Max: estrada da fúria.

Como sou viciado em fun-facts e vivo fazendo dados desse tipo para o Oscar, fiz uma pequena lista de curiosidades do meu prêmio pessoal:

  • É a primeira vez que uma atuação-não-convencional ganha aqui no blog: Phyllis Smith ganhou Atriz Coadjuvante pela dublagem da Tristeza de Divertida mente. A única outra vez que uma atuação assim foi indicada foi em 2013 nessa mesma categoria com Arlette Sales por Até que a Sbórnia nos separe.
  • É também a primeira vez, em 10 anos de prêmio, que os 4 filmes vencedores nas categorias de atuação também vencem em outros lugares: Que horas ela volta? ganhou em Melhor Atriz (e também Direção e Cena); Para minha amada morta ganhou em Melhor Ator (além de Fotografia e Direção de arte); Divertida mente em Atriz Coadjuvante (e também Filme, Roteiro Original, Animação e Trilha) e O último cine drive-in em Ator Coadjuvante (e Filme de estréia).
  • Com 5 vitórias, Divertida mente empata em número com Filhos da esperança, Milk, Gravidade e Sangue negro (o último é o único a não ganhar a categoria principal). O maior vencedor, no entanto, ainda é A pele que habito, com 6.
  • É extinta a categoria Melhor Disco.
  • Estreiam três categorias de Curta-metragem: Curta de animação, Curta documentário e Curta ficção.

Aqui a lista de todos os filmes (longas e curtas) que conferi em 2015 e portanto elegíveis para o Anfitrião. Lembrando que a lista é composta de produções que 1) estrearam em circuito comercial, 2) foram exibidas em mostras e festivais, ou 3) foram lançadas diretamente em DVD. Abaixo segue a relação completa

wcy4eog

1º Divertida mente, de Pete Docter e Ronnie Del Carmen
Que horas ela volta?, de Anna Muylaert
3º Para minha amada morta¹, de Aly Muritiba
4º O conto da princesa Kaguya, de Isao Takahata
5º Olmo e a gaivota, de Petra Costa e Lea Glob

Continuar lendo

Prêmio Anfitrião 2014

Na nona edição do prêmio Anfitrião, não houve um franco favorito. Com 6 filmes empatados com duas vitórias cada, o maior destaque do ano foi Boyhood – Da infância à juventude. O “épico caseiro” de Richard Linklater, filmado ao longo de 12 anos com os mesmos atores, saiu-se vitorioso em três categorias (Filme, Direção e Atriz Coadjuvante), empatando com A Caça em 2012 em número de vitórias, e ficando acima de Soul Kitchen em 2010 (apenas duas, o vencedor de Melhor Filme com menos vitórias no geral).

Marion Cotillard é a atriz (ou ator) com mais indicações na história do prêmio (com essa, são três: junto com Piaf em 2007, e Inimigos públicos em 2009). Ela também é a primeira a ganhar duas vezes na categoria principal (Heath Ledger foi o primeiro a vencer duas vezes, porém como Ator por Brokeback mountain em 2006 e depois como Ator Coadjuvante por Batman em 2008). Outra curiosidade do ano é a indicação dupla de Joaquin Phoenix em uma mesma categoria, primeira vez que um ator consegue tal feito.

 Aqui a lista de todos os filmes que conferi em 2013 e portanto elegíveis para o Anfitrião. Lembrando que a lista é composta de produções que 1) estrearam em circuito comercial, 2) foram exibidas em mostras e festivais, ou 3) foram lançadas diretamente em DVD. Abaixo segue a relação completa.

FILME

1º Boyhood de Richard Linklater
Dois dias, uma noite de Jean Pierre e Luc Dardenne
3º Era uma vez em Nova York de James Gray
4º Casa grande* de Fellipe Barbosa
5º Relatos selvagens de Damián Szifron

Continuar lendo